“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


3 comentários

A boy can too

-Já viste o filme “Brave“?

– Não, é filme para meninas! – F., 5 anos.

Como?!

De onde vem este preconceito?

Por acaso a protagonista do filme Brave é uma menina, mas é um filme sobre o crescimento, o auto-conhecimento, cheio de adrenalina e aventura, para além de efeitos especiais espectaculares.

Às vezes, penso que estou a preparar a minha filha para um mundo que ainda não existe (a minha esperança reside precisamente no “ainda”).

Os pais dos meninos têm igualmente um grande percurso a percorrer.

Uma luta contra o preconceito que limita as meninas (e futuras mulheres), mas também contra as ideias feitas que existem acerca de  “ser rapaz”!

A genuinidade (e eventual genialidade) dos meninos é oprimida pela sociedade em que vivemos.

Um exemplo trivial:

Quantos pais permitem que os seus filhos frequentem aulas de ballet?

Em Estremoz, conheço apenas um menino que frequenta as aulas, mas quando a Beatriz iniciou as aulas foram vários os meninos que manifestaram vontade de acompanhar a Beatriz.

Alguém os impediu…

No século XXI!

Numa escola da cidade, há um jovem que pinta as unhas de preto.

E provoca risinhos e comentários maldosos dos outros jovens e… de adultos!

É, com certeza, um menino forte e no bom caminho para ser um homem fiel à sua vontade e bem resolvido, sem medo do que vão dizer/pensar dele.

Com roupa de princesa, não vi qualquer menino, nem no Carnaval.

O que desejo é que as crianças se resolvam bem na infância, experimentem e se descubram sem quaisquer limites de género, mas apenas tendo como condicionante a sua vontade genuína, passe ela por usar/fazer/pensar ou não usar/fazer/pensar o que há bem pouco tempo era apenas permitido ao universo feminino ou masculino.

As fotografias pertencem ao projecto A Boy Can Too que me conquistou logo de início: o nome diz tudo, mas visitem o site e vejam as fotografias.

 

 

 

 

 


6 comentários

Universar

Mia Couto cria universos mágicos, com personagens maravilhosas, em que tudo pode acontecer, com a acutilância e sensibilidade expectável duma mente lúcida e poética.

Acabei O último Voo do Flamingo:

“O céu está em obras, só tem caído ferrugem lá das nuvens.”

“Quem voa depois da morte? É a folha da árvore.”

“As ruínas de uma nação começam no lar do pequeno cidadão.” (Provérbio africano)

“A guerra nunca partiu, filho. As guerras são como as estações do ano: ficam suspensas, a amadurecer no ódio da gente miúda.” [A mãe] andava com uma bilha a recolher as lágrimas de todas as mães do mundo. Queria fazer um mar só delas. O que faz a lágrima? A lágrima nos universa, nela regressamos ao primeiro início. Aquela gotinha é, em nós, o umbigo do mundo. A lágrima plagia o oceano.”

Um discurso poético mas cru, com um enredo policial que nos cativa, mas que nos leva à reflexão acerca da vida.

 

 

 


9 comentários

Boleima de maçã

A boleima é um dos meus doces tradicionais favoritos do Alentejo;

mas tem de ser a boleima de maçã e caseira, claro.

A da Avó Silvana é das melhores, mas esta que as Anas fizeram está igualmente excelente.

Ingredientes:

1kg de massa de pão;

250g de banha de qualidade (de porco preto);

açúcar amarelo;

canela;

50g de farinha de trigo;

maçãs e nozes picadas.

1- Trabalha-se a massa de pão com farinha.

pesar-a-massa-de-pao

2- Em seguida, vão-se fazendo furos na massa onde se vai introduzindo a banha, mas sem amassar.

ingredientes-da-boleima

3-Fazem-se bolos redondos desta massa, que se espalmam e se colocam num tabuleiro.

4- Polvilha-se o centro destes discos com açúcar e canela e, querendo, fatias finas de maçã e nozes picadas.

macas-cortadas-para-boleima

recheio-da-boleima-de-maca-e-nozes

5- Põe-se em cima de cada disco uma bola de massa também achatada, mas de diâmetro inferior, de modo a deixar uma orla em toda a volta da rodela.

6-Polvilha-se novamente a boleima com açúcar e canela.

boleima-antes-de-ir-ao-forno

7- Da boleima inferior, puxam-se quatro tiras que se fazem passar sobre a boleima juntando-se ao meio.

(Colocam-se gotas de água por cima da boleima, antes desta ir ao forno, para o açúcar, que foi polvilhado, não queimar: dica preciosa da Ana).

8- Levam-se a cozer em forno moderadamente quente.

boleima-de-maca-depois-de-cozida

É um perigo: o nosso tabuleiro desapareceu em dois dias!

A receita da Boleima de Castelo de Vide está no Livro, na página 255.

 

 

 

 

 


7 comentários

À la garçonne

Anda aqui uma vontade de mudar a mesmice dos dias.

Como as rotinas e obrigações quotidianas têm de ser as mesmas, fiquei com vontade de mudar a imagem do espelho.

Tão bonitos estes cortes de cabelo!

As modelos também ajudam!

modelo-uterque corte de cabelo curto

Esta modelo “ajuda tanto” que até comprei a blusa às pintinhas.

 

Mas a minha girl crush é mesmo a Vanessa Rozan.

Vanessa rozan cabelo curto

vanessa-rozan

A dúvida: Cortar ou esticar para ficar… como a Vanesa Rozan.

vanessa-rozan

Andamos assim.

Em questões profundíssimas.

Como não sou propriamente corajosa, optei por cortar assim, sempre na esperança de ficar automaticamente com esta pinta toda:

corte com franja 2017

No final dos dias extenuantes, a minha capacidade de concentração, assim como o meu cérebro, ficam do tamanho de uma bolota: esta autoanálise é só uma forma de legitimar o meu guilty plesure:


9 comentários

A primeira

Momento educativo do dia:

-Fernão de Magalhães foi o primeiro homem que deu a volta ao mundo, de barco. Estás aqui a ver o globo… blabla… provou que a terra era redonda… blabla… rei de Castela… blabla… e…

-Mãe, mas quem foi a primeira mulher a dar a volta ao mundo?

-…?!…

A minha filha é mais feminista do que eu!

Fui pesquisar!

E agora, antes de grandes lições de História, tenho de preparar-me!

Descobri que a primeira mulher a fazer a primeira viagem de circum-navegação foi Jeanne Barret:

uma jovem de 26 anos, apaixonada por Botânica, entre 1766-69, acompanhou, disfarçada de rapaz, o seu amante Philibert Commerson, um famoso botânico, na primeira viagem de circum-navegação francesa.

Para além de ter infringido a lei francesa que proibia as mulheres de viajarem nas expedições,

de ter sobrevivido três anos a negar a sua identidade e sozinha entre tantos homens,

ter sofrido ao ser descoberta,

identificou e desenhou inúmeras espécies de plantas nunca antes vistas.

Claro que este trabalho científico nunca foi devidamente reconhecido, tal como o de muitas mulheres da História.

Fiquei com vontade de ler o livro desta incrivelmente corajosa mulher.

jeanne-baret-livro

Continuei a pesquisa e encontrei Amélia Earhart, nascida a 1897, nos Estados Unidos da América.

Apesar de não ter concluído a viagem, no seu avião, morreu a tentar.

É a preferida da Beatriz!

amelia-earhart

Tenho de ver o filme.

Mais recentemente, Elspeth Beard fez esta mesma viagem de mota.

primeira-mulher-a-circumnavegar-o-globo-de-mota

morning-departure_india-elspeth-beard-overland-magazine

Mulheres-modelo que se superaram, num mundo de homens.


6 comentários

Cúmplices

Há 3 anos que a nossa equipa é constituída só por mulheres.

Ok, durante 3 meses tivemos o M. e que bom que foi, mas o M. é mesmo um ser humano especial.

Eu gosto de trabalhar com mulheres…

Bem, eu gosto de trabalhar em equipa…

desde que seja com pessoas íntegras, dedicadas e afectuosas!

lifteachotherup_libbyvanderploeg

Mas trabalhar com estas mulheres é  bom demais!

Esta animação ilustra bem como devemos ser uns/umas para os outros/as outras; é da Libby!

 


2 comentários

Kiss

Nunca gostei de adágios nem de justificar as minhas acções recorrendo a frases feitas.

Fazê-lo sempre me pareceu um sinal de preguiça mental ou conservadorismo.

Mas e o que dizer das novas frases que abundam no FB e nos blogs?

Ainda por cima em inglês e tão bonitas?

Mordi a língua!

we should kiss often A venda

No correr dos dias, fica a ideia 🙂

Imagem:

A Venda

Este texto dá umas pistas…

 


4 comentários

Bolo finto

No Alentejo, o bolo finto é um clássico.

Devo dizer que não aderi de imediato, porque a aldeia dos meus antepassados é uma aldeia de padeiras e o Bolo das Alhadas educou-me o paladar da infância.

O bolo finto tem um sabor intenso a erva-doce que não me agrada;

no entanto, eu só tinha provado bolo finto industrial.

Que sabia eu?

Não imaginam como é diferente do cozido em casa.

Quando a Ana nos desafiou para uma tarde no forno, nos planos também estava o bolo finto.

Bolo Finto

Ingredientes:

1,5 kg de farinha

500g massa de pão (receita já testada aqui)

1,5dl de leite

12g de canela

12g de erva-doce

1/2 cálice de aguardente

raspa de casca de 1 laranja

1,5dl de azeite

1 casca de limão

10 a 12 ovos (conforme o tamanho)

1-Coze-se a erva-doce num pouco de água, côa-se a água e guarda-se.

2-Ferve-se o azeite com a casca de limão.

3-Peneira-se a farinha para um alguidar e junta-se-lhe o pão em massa, o leite, a canela, o açúcar, a aguardente, a raspa da casca de laranja e vão-se amassando estes  ingredientes, primeiro com a água de cozer a erva-doce e depois com os ovos, juntando-os à medida que a massa os vai absorvendo.

4-Quando a massa fizer bolhas, polvilha-se com mais farinha, tapa-se com um cobertor e deixa-se levedar durante 24 horas.

5-Em seguida, e sempre com a ajuda da farinha, divide-se a massa em vários bocados de modo a fazerem-se bolos redondos com o diâmetro de 10 a 12 cm.

tender-e-moldar-bolo-finto

A fintar os bolos fintos!

A fintar os bolos fintos!

bolo-finto-em-massa

6-Colocam-se em tabuleiros, deixam-se levedar um pouco e cozem-se em forno forte.

Uma equipa extraordinária... amigos queridos!

Uma equipa extraordinária… amigos queridos!

6-À medida que os bolos forem saindo do forno, pincelam-se com ovo batido.

bolo-finto-sair-do-forno

Eu comi um bolo numa tarde, mas aqui em casa há quem tenha comido um bolo numa dentada!

A receita foi retirada do livro que há em casa de todos os portugueses, na página 255 – Bolos de Festa de Alpalhão.

E ainda me falta mostrar-vos a Boleima de Maçã!