“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Chama

1 Comentário

Prometeu, primo de Zeus e benfeitor dos humanos, deu-nos o Fogo.

Antes disso, éramos apenas bonecos moldados em barro.

Prometeu “roubou algumas sementes de fogo à roda do Sol e levou-as para Terra, escondidas num caule de férula.

Zeus puniu os mortais e o seu benfeitor.

Aos primeiros, enviou-lhes uma criatura por ele expressamente forjada para o efeito – Pandora.

Quanto a Prometeu, prendeu-o com grilhões de aço no cimo do Cáucaso e determinou que uma águia lhe fosse comendo o fígado, que se ia renovando  incessantemente.

Jurou ainda pelo Estige que jamais libertaria o traidor.”

(Do Dicionário de Pierre Grimal) 

Tanto sofrimento para nos dar a chama da vida e, na maior parte dos dias, nem a vejo.

Autómatos, anestesiados, deslizamos pela vida.

Hoje é porque está frio, amanhã é porque temos pressa, para a semana é porque a filha está constipada, no final do mês, é porque não recebemos… no final do ano, é porque temos medo e sempre nos disseram para “evitar sarilhos”.

Assim, vivemos, sem grandes aborrecimentos, com a consciência adormecida… mas sem calor no coração.

Já que não podemos devolver a Pandora, podíamos, pelo menos, fazer alguma coisa com o Fogo.

Taiyo Matsumoto.

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

One thought on “Chama

  1. Bem verdade. Faz pensar. Beijinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s