“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Amigos perdidos

Deixe um comentário

São assim os poetas…

Carlos Drummod de Andrade descreveu-me, em 1945:

Alguns amores passaram,

mas a vida não se perdeu,

o coração continua aqui

e mantenho-me nua na praia,

a apanhar o vento frio e o calor do Céu.

É para lá que olho.

Os amigos são a maior dádiva deste meu percurso louco, e são, simultaneamente, a maior causa de dor. São tão excepcionais, mas desaparecem.

As minhas perdas acontecem abrupta e tragicamente. Fico sozinha no mundo.

Mas “o coração continua”

“nu na areia, no vento…”

Consolo na praia

Vamos, não chores.

A infância está perdida.

A mocidade está perdida.

Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.

O segundo amor passou.

O terceiro amor passou.

Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.

Não tentaste qualquer viagem.

Não possuis casa, navio, terra.

Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,

em voz mansa, te golpearam.

Nunca, nunca cicatrizam.

Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.

À sombra do mundo errado

murmuraste um protesto tímido.

Mas virão outros.

Tudo somado, devias

precipitar-te, de vez, nas águas.

Estás nu na areia, no vento…

Dorme, meu filho.

(Declamado pelo Drummond, aqui.)

Imagens de amigas despidas, como sempre devem estar as amigas, do blog IGNANT.

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s