“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


6 comentários

Muffin de cacau

Há muito tempo que não partilhamos uma receita.

A verdade é que a cozinha anda muito funcional:

cumpre a sua função de local de preparação de alimentos, mas não tem havido tempo para chinelar e adoçar os dias!

Que tristeza!

Neste fim-de-semana, aproveitamos uma prenda boa, a Cozinha com Ciência , e fizemos muffins!

muffin cacau.jpg

Ingredientes

200g de farinha de trigo

300g de farinha de trigo integral

300g de açúcar mascavado

100g de cacau puro

pitada de flor de sal

500ml de leite

200g de manteiga derretida

Numa taça grande, misturam-se os ingredientes secos.

Acrescentam-se o leite e manteiga derretida.

Mistura-se muito bem, mas não é preciso bater.

Coloca-se a massa nas formas untadas.

Cozem em forno a 180ºC durante 25 minutos.

Já está!

A receita foi adaptada do manual, mas aprendemos o seguinte:

“O fermento químico é composto por bicarbonato de sódio, ácido (frequentemente ácido tartárico) e amido. Quando colocamos o bicarbonato (que é uma base química) a reagir com o ácido, ocorre a libertação de álcool e dióxido de carbono dentro da mistura, provocando a formação e retenção de bolhas de ar, e o crescimento e aumento de volume da massa. O amido é responsável por absorver humidade do ar, para que o teu muffin fique fofinho e não fique seco.”

 

 

 


Deixe um comentário

Sopa da panela

Adivinha-se uma noite gelada…

Como é que se aquece no Alentejo?

Com a braseira na camilha (ou camila!) e com Sopa da Panela.

sopa da panela

É tão fácil de fazer que reproduzimos a iguaria na Figueira da Foz.

Cozemos a galinha caseira da Avó Rosa, com o chouriço alentejano, a cebola e o sal.

Retirámos os ossos à galinha e cortámos o chouriço.

Em cada prato, colocámos pão alentejano cortado e hortelã e vertemos o caldo da galinha (bem quente), com um pouco de carne e uma rodela de chouriço!

A Avó Silvana disse que nos faltou a carne de porco gorda.

Eu achei que não fez falta.

Esta sopa costuma ser o almoço do Dia de Natal, mas acho que fica muito bem em qualquer dia de frio, quando precisamos de recuperar forças e disposição!

 


8 comentários

Boleima Rápida da Avó

No dia em que as queridas Anas fizeram a boleima de Castelo de Vide, falei da boleima da avó Silvana.

É uma versão mais rápida e simples da boleima, mas muito boa.

Ingredientes:

1 copo de leite

1 copo de óleo

4 copos de farinha com fermento

1 pitada de sal

500g de maçãs

açúcar amarelo e canela

Amassam-se todos os ingredientes muito bem e divide-se a massa em duas partes iguais.

Estende-se com o rolo metade da massa e cobre-se o fundo do tabuleiro.

Polvilha-se com açúcar e canela.

Cobre-se com as maçãs  cortadas em fatias e polvilha-se com mais açúcar e canela.

Coloca-se por cima a outra metade da massa já esticada com o rolo.

Polvilha-se novamente com açúcar e canela.

Antes de ir ao forno, conta-se com uma faca bem afiada; dão-se golpes até ao fundo do tabuleiros de forma a formar muitos quadrados.

Coze em forno moderado.

É fácil de fazer e é absolutamente deliciosa!


9 comentários

Boleima de maçã

A boleima é um dos meus doces tradicionais favoritos do Alentejo;

mas tem de ser a boleima de maçã e caseira, claro.

A da Avó Silvana é das melhores, mas esta que as Anas fizeram está igualmente excelente.

Ingredientes:

1kg de massa de pão;

250g de banha de qualidade (de porco preto);

açúcar amarelo;

canela;

50g de farinha de trigo;

maçãs e nozes picadas.

1- Trabalha-se a massa de pão com farinha.

pesar-a-massa-de-pao

2- Em seguida, vão-se fazendo furos na massa onde se vai introduzindo a banha, mas sem amassar.

ingredientes-da-boleima

3-Fazem-se bolos redondos desta massa, que se espalmam e se colocam num tabuleiro.

4- Polvilha-se o centro destes discos com açúcar e canela e, querendo, fatias finas de maçã e nozes picadas.

macas-cortadas-para-boleima

recheio-da-boleima-de-maca-e-nozes

5- Põe-se em cima de cada disco uma bola de massa também achatada, mas de diâmetro inferior, de modo a deixar uma orla em toda a volta da rodela.

6-Polvilha-se novamente a boleima com açúcar e canela.

boleima-antes-de-ir-ao-forno

7- Da boleima inferior, puxam-se quatro tiras que se fazem passar sobre a boleima juntando-se ao meio.

(Colocam-se gotas de água por cima da boleima, antes desta ir ao forno, para o açúcar, que foi polvilhado, não queimar: dica preciosa da Ana).

8- Levam-se a cozer em forno moderadamente quente.

boleima-de-maca-depois-de-cozida

É um perigo: o nosso tabuleiro desapareceu em dois dias!

A receita da Boleima de Castelo de Vide está no Livro, na página 255.

 

 

 

 

 


4 comentários

Bolo finto

No Alentejo, o bolo finto é um clássico.

Devo dizer que não aderi de imediato, porque a aldeia dos meus antepassados é uma aldeia de padeiras e o Bolo das Alhadas educou-me o paladar da infância.

O bolo finto tem um sabor intenso a erva-doce que não me agrada;

no entanto, eu só tinha provado bolo finto industrial.

Que sabia eu?

Não imaginam como é diferente do cozido em casa.

Quando a Ana nos desafiou para uma tarde no forno, nos planos também estava o bolo finto.

Bolo Finto

Ingredientes:

1,5 kg de farinha

500g massa de pão (receita já testada aqui)

1,5dl de leite

12g de canela

12g de erva-doce

1/2 cálice de aguardente

raspa de casca de 1 laranja

1,5dl de azeite

1 casca de limão

10 a 12 ovos (conforme o tamanho)

1-Coze-se a erva-doce num pouco de água, côa-se a água e guarda-se.

2-Ferve-se o azeite com a casca de limão.

3-Peneira-se a farinha para um alguidar e junta-se-lhe o pão em massa, o leite, a canela, o açúcar, a aguardente, a raspa da casca de laranja e vão-se amassando estes  ingredientes, primeiro com a água de cozer a erva-doce e depois com os ovos, juntando-os à medida que a massa os vai absorvendo.

4-Quando a massa fizer bolhas, polvilha-se com mais farinha, tapa-se com um cobertor e deixa-se levedar durante 24 horas.

5-Em seguida, e sempre com a ajuda da farinha, divide-se a massa em vários bocados de modo a fazerem-se bolos redondos com o diâmetro de 10 a 12 cm.

tender-e-moldar-bolo-finto

A fintar os bolos fintos!

A fintar os bolos fintos!

bolo-finto-em-massa

6-Colocam-se em tabuleiros, deixam-se levedar um pouco e cozem-se em forno forte.

Uma equipa extraordinária... amigos queridos!

Uma equipa extraordinária… amigos queridos!

6-À medida que os bolos forem saindo do forno, pincelam-se com ovo batido.

bolo-finto-sair-do-forno

Eu comi um bolo numa tarde, mas aqui em casa há quem tenha comido um bolo numa dentada!

A receita foi retirada do livro que há em casa de todos os portugueses, na página 255 – Bolos de Festa de Alpalhão.

E ainda me falta mostrar-vos a Boleima de Maçã!

 


10 comentários

Amassar

A Ana desafiou-nos para fazer pão.

Assim, num dia cheio de sol de Inverno.

Perfeito para caçar tesouros Lá Fora.

correr num monte alentejano

aproveitar-o-sol-de-inverno

E eu fui, com pouca convicção a pensar que íamos cozer 3 pães.

Vejam o que fizémos; correção – o que as duas Anas fizeram, porque eu fiquei tão abismada que quis registar tudo e pouco amassei.

Pão Alentejano

3 kg de farinha

70g de fermento

50g de sal

1-Amassar os ingredientes. A Ana tem esta máquina!

batedeira industrial doméstica

2-Levedar durante 3 quartos de hora num local aquecido.

massa-de-pao-a-levedar

3- Pesar a massa (a Ana é perfeccionista!), tender e moldar.

pesar-a-massa-de-pao

massa-de-pao-alentejano-moldada

Aproveitou-se ainda a massa para fazer pãezinhos com chouriço.

Entretanto a massa de pão moldada ficou tapada mais 10 minutos.

moldar-pao-com-chourico

4- Tudo pronto, passou-se para o forno.

massa-de-pao-antes-de-ir-ao-forno

pao-na-pa-do-forno

O forno já estava quente e com a cortina de calor: aquelas brasas rubras que impedem que o calor se perca.

cortina-de-calor-do-forno-de-lenha

5-Brincar enquanto o forno faz o seu trabalho.

quartel-de-bombeiros-em-miniatura

6-Retirar e cheirar muito.

pao-alentejano-acabado-de-sair-do-forno

7- Trincar… e eu viajei mesmo no tempo!

comer-pao-com-chourico-e-bom

As Anas ainda fizeram mais maravilhas!

Aguardem!


2 comentários

Cheesecake de Cacau e Licor de Laranja

Quando vi esta receita no blog da Guida, Panela sem Depressão, fiquei hipnotizada.

Como não tinha Irish cream, decidi fazer um cheesecake todo alentejano, com Licor de Laranja da Licoreira da Villa (de Borba!).

cheesecake-de-cacau-e-licor

Ingredientes:

óleo vegetal

185 g de bolachas de chocolate

55 g de manteiga

200 g de chocolate de leite

200 g de chocolate negro (70% cacau)

50 g de açúcar amarelo

350 g de queijo creme

3 colheres de sopa de licor de laranja

  • Forre a base da forma com cerca de 20 cm de diâmetro com papel vegetal ou pincele com óleo vegetal
  • Esmague as bolachas com um rolo de massa ou no processador de alimentos
  • Derreta a manteiga e adicione às bolachas
  • Coloque na base da forma e pressione
  • Leve ao frigorífico pelo menos 1 hora
  • Derreta os dois chocolates em banho-maria e deixe arrefecer
  • Junte o açúcar e o queijo creme e bata até ficar macio
  • Adicione  a mistura de chocolates e o licor
  • Coloque na forma e leve ao frigorífico pelo menos duas horas
  • Transfira para o prato de servir e decore como lhe agradar

cheesecake-de-cacau-e-licor-de-laranja

Uma sobremesa de Inverno para apreciadores de chocolate (como diz a Guida, ou seja, para mim), mas nada enjoativa.

O licor de qualidade, na versão alentejana, fez a diferença, sem dúvida: a combinação do cacau com o aroma da laranja é divinal.

A receita foi copiada do blog cada vez mais inspirador da Guida!