“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


5 comentários

Verdade

Será a verdade um valor tão indiscutível quanto nos querem fazer crer?

Viver em verdade connosco e com os que nos são próximos, sem dúvida, mas quantas vezes mentimos ao longo do dia?

Tinha um lema com uma colega de trabalho que consistia em nunca dizermos uma à outra que estávamos com ar cansado ou doente.

A partir do momento em que alguém nos apontasse essa verdade sentíamo-nos fatalmente com olheiras até aos cotovelos e febris.

Seguem 5 mentirinhas que uso para sobreviver a conversas de circunstância:

1-Que idade achas que tenho? (a pergunta mais armadilhada que conheço)

R: (Acho que tens 45 anos, mas como perguntas queres ouvir…) 40, não?

2-O que achas destas calças?

R: Giras! (agora já sabem; se eu não disser mais nada é porque não são fantásticas)

3-Tenho razão, não tenho?

R: Alguma (pouca e a que tens não vale nada!)

4-Achas que sou chato?

R: Não (mas já respondi a isso 10 vezes na última meia-hora!).

5- Estou mais gorda?

R: Não (nunca! lá agora!)

A propósito de dizer coisas fofinhas, o que eu gostei desta colecção de postais para enviar, quando não estamos para uma mentira piedosa ou quando fica o fastio estampado na nossa cara…

Que vontade de enviar emails!

Do ilustrador Killien Huynh.

 


7 comentários

Be

Elvas, 2017

Exercício do dia:

-Cada um vai perspectivar-se no futuro: daqui a 7 anos como é que gostariam que fosse a vossa vida? Os sonhos não têm limites, certo?

Respostas entre o “certinho” e o “louquinho” que me encheram de alegria… excepto num dos grupos de 25 jovens.

Neste grupo, 23 disseram: trabalhar, casar e ter filhos.

Nada contra o plano, a minha filha foi o melhor que me aconteceu e adoro o meu trabalho… mas de corações a bater há 18 anos esperava mais irreverência.

Preocupa-me o facto desta resposta reflectir uma vontade genuína (e se for isso encantada da vida!) ou se reflecte falta de alternativa, falta de ambição e falta de capacidade de sonhar.

Nesse caso, preocupa-me que, de alguma forma, os sonhos estejam a ser roubados aos jovens desta geração.

Numa Europa assustada e militarizada, num mundo inseguro, por onde proliferam a miséria material e a de espírito, nesta ditadura da produtividade e do individualismo, projectos como “dar a volta ao mundo”, “fazer voluntariado em África”,  “trabalhar noutro país”, “viver com todos os meus amigos num prédio”, “criar uma associação para salvar animais”, “fazer parte da equipa que vai descobrir/curar/inventar…”; “adoptar uma criança”  não se ouvem.

Parece que ninguém quer sobressair.

Mas o que será de nós se ninguém perseguir utopias?

O que será de cada jovem que negar a sua vontade reprimida de engolir o mundo?

Talvez seja uma das ideias mais importantes que tento transmitir aos meus alunos.

Uma ideia nem sempre fácil de transmitir e que, ultimamente, tem-me feito sentir estranhamente subversiva.

 


2 comentários

Sublimar

“Todos somos chamados, pelo menos uma vez, a desempenhar um papel que nos supera.

É nesse momento que justificamos o resto da vida, perdida no desempenho de pequenos papéis indignos do que somos.”

Luís de Sttau Monteiro, Felizmente há Luar!

Oxalá consigamos, ao longo da vida, identificar o verdadeiro papel que nos cabe e que nos reconheçamos no desempenho dessa superação!

Votos de uma Páscoa Feliz!

 


2 comentários

Kiss

Nunca gostei de adágios nem de justificar as minhas acções recorrendo a frases feitas.

Fazê-lo sempre me pareceu um sinal de preguiça mental ou conservadorismo.

Mas e o que dizer das novas frases que abundam no FB e nos blogs?

Ainda por cima em inglês e tão bonitas?

Mordi a língua!

we should kiss often A venda

No correr dos dias, fica a ideia 🙂

Imagem:

A Venda

Este texto dá umas pistas…

 


2 comentários

Create

 

Do whatever brings you to life, then.

Follow your own fascinations, obsessions, and compulsions.

Trust them.

Create whatever causes a revolution in your heart.”
Elizabeth Gilbert

 

Ao ler estas frases inspiradoras lembrei-me de Nelleke Verhoeff, outra artista a quem cheguei através do Instagram.

Todos os anos tenho uma ilustradora fetiche e palpita-me que já está escolhida a deste ano.

make-it-happen

 

more-than-you-think-postcardmind-over-matter-postcard

Frases e imagens inspiradoras ajudam-me a encontrar a revolução do coração.

Algumas vão circulando pelo meu ambiente de trabalho.

singing-in-my-brain

let-it-grow

fish_eyes

Todas as imagens pertencem a http://www.redcheeksfactory.com/

 

 


Deixe um comentário

Happiness

“Happiness is when what you think, what you say, and what you do are in harmony.”

Mahatma Gandhi

our-food-stories

É o lema para 2017.

Parece tão simples mas, devido a todas as convenções, obrigações, contradições internas e, principalmente, devido ao meu carácter demasiado conciliatório (e por vezes estouvadamente intempestivo!), é uma luta diária.

Um difícil equilíbrio que exige muito treino, persistência, auto domínio e delicadeza (connosco e com os outros!).

our-food-stories-passeio-de-bicicleta

passeio-de-bicicleta-ao-por-do-sol

 

our-food-stories-2

our-food-stories-3

Estas imagens são de um blog que me faz muito bem; da Laura e da Nora: Our Food Stories.

Weird

Deixe um comentário

hwtf frase

No meio de tantas rotinas, deveres, obrigações, expectativas, fica um sufoco, uma vontade de gritar Álvaro de Campos:

 ” […]

Não me macem, por amor de Deus!

 

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?

Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?

Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.

Assim, como sou, tenham paciência!

Vão para o diabo sem mim,

Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!

Para que havemos de ir juntos?

 

Não me peguem no braço!

Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.

Já disse que sou sozinho!

Ah, que maçada quererem que eu seja de companhia! […]”

LISBON REVISITED   (1923)

 

Com Álvaro de Campos na cabeça, mas com as obrigações profissionais e domésticas à espera, com as contas por pagar que me impedem de abrandar o ritmo…

Extravaso a rebeldia com um vestido extravagante, um piercing ou com batôn vermelho!

Ena! Ena!

Que insurrecta!


7 comentários

Old Friend

Nunca gostei de adágios nem de justificar as minhas acções recorrendo a frases feitas.

Fazê-lo sempre me pareceu um sinal de preguiça mental ou conservadorismo.

Mas e o que dizer das novas frases que abundam no FB e nos blogs?

Ainda por cima em inglês e tão bonitas?

Mordi a língua!

bees like honey 8

 

Mudar de cidade trouxe-me novos amigos e, passados 3 anos, sinto-me abençoada.

Mas e o que fazer às saudades dos amigos que estão longe?

Só a cumplicidade alimentada pelos anos, décadas, ou uma vida em comum, nos serena completamente.

Às vezes, basta uma frase, uma meia pergunta para dizer tanto: não é preciso contextualizar nem explicar o que sentimos em relação àquele assunto; é mesmo só partilhar um estado de alma, aquele momento, e seguir com mais força, bem mais tranquila e menos só.

Ann Street Studio friends

Saudades “danadas” de me ver nos olhos dos meus velhos amigos!

 

Frase: Bees love Honey

Imagem: Ann Street Studio


3 comentários

Shine

Nunca gostei de adágios nem de justificar as minhas acções recorrendo a frases feitas.

Fazê-lo sempre me pareceu um sinal de preguiça mental ou conservadorismo.

Mas e o que dizer das novas frases que abundam no FB e nos blogs?

Ainda por cima em inglês e tão bonitas?

Mordi a língua!

bees like honey 7

Aos 20 todos brilham: os olhos, a pele, o cabelo, os dentes, o sorriso aberto;

definitivamente, depois dos 40, só brilha quem tem “good thoughts”!

Não há maquilhagem nem tinta que faça brilhar um espírito mesquinho, amargurado, ruim ou postiço… Há sempre uma sombra pesada… e incómoda.

Em contrapartida, continuo a encontrar muitos olhos brilhantes e que sorriem antes da boca, em caras com muitas rugas, mãos amarelecidas e cabelos brancos.

Foi assim este Sábado, no mercado de Estremoz, na banca dos legumes e das velharias.

É uma ideia batida, eu sei, mas há dias em que, se estivermos atentos, o brilho entra-nos pelos olhos até à alma… e é mesmo bom! De repente, fica-se com mais fé no mundo!