“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


8 comentários

Farm update

O que trouxemos da Avó Rosa para plantar no nosso quintalinho:

plantas da casa da avó

Alface; cebolinho, tomate cereja vermelho, amarelo e preto (!!!), calêndulas e pimento!

O que gostaríamos de ter trazido:

Rega gota-a-gota!

E um quintal todo florido!

rega gota-a-gota

Tabuleiros de cultivo!

preparação do tabuleiro de cultivo

Tabuleiros de cultivo

É todo um outro sistema operativo!

tabuleiro de cultivo pormenor

Ganha-se muito em controlo de pragas, ervas-daninhas, rega e, claro, ergonomia!

O que temos para mostrar do nosso quintalinho Spectrum?

As alfaces astronautas estão farfalhudas.

alfaces

E as couves também!

couves

E temos muitas plantinhas bebés que, acreditamos, vão dar que falar!

 


2 comentários

Tesouros do Montinho

Passear pelo campo prepara-nos para a semana:

limpa a cabeça do ruído (literal e metafórico) e ajuda a agir com lucidez quando a insensibilidade e a cegueira se espalham de forma contagiosa.

Por todos estes motivos, faz-me bem trazer para casa testemunhos dos momentos de pureza.

Ajudam-me a focar.

O rosmaninho.

rosmaninho

As cápsulas das sementes de esteva.

cápsulas de flores de esteva

As flores silvestres.

Ramo de flores selvagens


6 comentários

Montinho

Há fins-de-semana tão produtivos que quase nos esquecemos de que são fins-de-semana.

No meio de 1001 tarefas e afazeres, esquecemo-nos de que temos dois dias por semana para parar, contemplar (-nos) e inspirar calmamente.

Ultimamente temos procurado esses momentos.

Infelizmente, explorar a fauna alentejana continua a ser a excepção.

Assim como encontrar estes sinais de trânsito em Portugal.

sinal

E as respectivas artiodáctilas em 3D.

vacas alentejanas

(Esta palavra faz-me sempre pensar em vacas a escrever à máquina.)

E artiodáctilas lãzudas.

ovelhas no Montinho

E qual será o grupo dos animais com membranas interdigitais?

patos no Montinho

Os sons da Natureza são as melhores baterias para semanas stressantes.

Melhor do que isso, só mesmo se nos ligarmos à terra.

deitada no Montinho

Transformar este passeio num hábito semanal é o desafio para 2015.

Deixando o Montinho


5 comentários

Verduras

Phoebe Wahl cesto do quintal

O Inverno não tem sido amigo do meu quintal.

Só a rúcula cresce viçosa.

As couves estão minúsculas há semanas.

As alfaces morrem.

Os espinafres não resistem às brincadeiras dos gatos.

Durante muito tempo não quis intervir…

Até hoje.

Estratégia para as alfaces: anti-frio e anti-loucuras felinas.

Alface no garrafão

alfaces no garrafão

Estratégia para os espinafres.

espinafre prisioneiro

O meu quintal não está propriamente bucólico, mas espero ter um cesto cheio para apresentar em breve.

A ilustração da agricultora feliz é de Phoebe Wahl.


14 comentários

Alfazema francesa

-Mãe, tenho saudades da Primavera!

-Eu também!

No nosso quintal, continuam as plantinhas arrepiadas.

A única flor que nos alegra os dias é mesmo a alfazema francesa.

É uma espécie de origem selvagem, resistente a doenças, e que cresce vigorosa no Inverno rigoroso e no Verão quente: ideal para um quintal no interior do Alentejo.

Para além disso, cuida do quintal, pois afasta pragas de pulgões, carraças, moscas e escaravelhos.

ramo de alfazema francesa

Este fio descobriu-o na loja Made in Paper!


5 comentários

O campo

Cada vez gosto mais do campo e de observar a vida das flores!

-Pois… apaixonaste-te por um alentejano.

(Nem todos os alentejanos têm herdades; há alguns mais citadinos do que um nova-iorquino.)

 

Cada vez me sinto mais feliz a mexer na terra e a ver as sementes a germinar!

-Foste viver para o Alentejo.

(O Alentejo não é constituído por montes; existem cidades – vivo no centro de uma delas, apenas com um pátio interior que eu vou fingindo que é uma horta…)

 

Os estereótipos sobre o nosso país são impressionantes… e sobre a vida no campo também.

Muitas vezes são imagens maravilhosas que nós gostamos de guardar na nossa imaginação e que as revistas, blogs e restantes órgãos de comunicação social alimentam.

A nossa casinha pequenina era no campo, no cimo da serra, e vivemos lá durante três anos.

Viver fora do centro da cidade é encantador: na Primavera, no Verão e no Outono.

 

O Inverno é, quase sempre, desconfortável e pouco acolhedor.

Às vezes, parecia que vivíamos num farol!

Nessa estação, o apartamento aquecido do meu Pai sempre me pareceu o ninho perfeito.

 

Entretanto, como já não vivo no campo há um ano, esqueço frequentemente o Inverno real e suspiro por estes Invernos de revista.

viver no campo

no quintal3vida no campo 2no quintal

vida no campo 1vida no campo 4

mimilouise[1]

cepes1[1]

As primeiras imagens são do blog DustJacket Attic.

As duas últimas imagens são do blog da fantástica (no campo ou na cidade) Mimi Thorisson.