“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


10 comentários

Defeitos

Casas velhas são amor para sempre.

Gosto tanto daquele ar envelhecido de quem atravessou gerações e tempestades;

aprecio mesmo as cicatrizes e as marcas de todas as pessoas que lá viveram.

Pode ser uma parede estragada ou uma porta arrancada ou uma fissura (que tal pintá-la de azul?).

Adorei esta casa da decoradora Isabel López-Quesada que encontrei no Home&Garden.

mesa-antiga-home-e-garden

cozinha-com-parede-antiga-home-garden

cozinha-antiga-home-garden

 

sala-antiga-home-e-garden

cadeira-velha-home-garden

porta-antiga-home-garden

wc-antigo-home-garden

E o meu favorito: o quarto!

quarto-com-parede-antiga-home-garden

Aqui em casa, chamaram-me a atenção para o facto das imperfeições serem contextualizadas num ambiente estudado e … perfeito.

Não é por acaso que esta casa pertence a uma arquitecta e decoradora… é verdade.

Mas eu até seria feliz no quartinho que se segue…

Podia era não ter companhia…

delta-breezes-quarto

Só mesmo para apreciadores, reconheço.

Esta última imagem veio da Delta Breezes.

 


5 comentários

Pendurar

pendurar coco lapine

Tenho o sonho de tirar tudo dos armários e espalhar pelas paredes!

Tudo é exagero, mas como sou acumulativa e desmemoriada, preciso de ter o que existe à vista.

De outra forma, corro o risco de não usar e (bem pior!) de comprar uma segunda via, completamente esquecida de que já tenho uma primeira guardada em casa, no fundo da gaveta.

pendurar na cozinha

Não auguro nada de bom, com o passar dos anos.

pendurar roupa no quarto

Já ando a tratar do problema e a inspirar-me nestas imagens.

Prateleiras de cozinha

cozinha Johanna

Coco Lapine

Johanna Bradford


2 comentários

Quarto

Li algures que um escritor americano viveu até aos 50 anos em hotéis e pensões.

Quando ganhou um prémio, comprou uma casa e tal foi o encantamento que era raro sair.

Como ando tão desmemoriada só consigo contar a história com estas imprecisões todas:

no entanto, lembro-me perfeitamente de que estava no quarto da Beatriz quando a li

(talvez porque é o único quarto da casa com o qual estou tranquila).

O meu problema com o quarto é igual ao do escritor: depois de tantos quartos provisórios, continuo sem quarto definitivo.

Falta-me 10 para os 50 anos, mas não tenho previsto nenhum prémio, portanto talvez seja melhor começar a arranjar o quarto com o que tenho.

Para já, a cama.

Assim.

quarto

cama Style Files

cama no chão Batixa

cama com portas style files

Coco lapine design

Quarto Coco lapine

las cositas cama

Inspiração:

The Style File (já viram este post de Portugal?)

Design Sponge

Coco Lapine Design

Las cositas

Esta música combina com o quarto que eu quero.

 


2 comentários

Bohemian Vibe

Os sites escandinavos de decoração são absolutamente maravilhosos.

Espaços abertos, iluminados, minimalistas, organizados e perfeitos.

Cozinha escandinava: vive aqui alguém?

Cozinha escandinava: vive aqui alguém?

A mim, sinceramente, assustam-me um bocadinho… ou talvez me transmitam, inconscientemente, a ideia de que eu nunca lá chegarei.

Descobri há pouco que o meu estilo decorativo é “bohemian”… às vezes, “bohemian chic”.

Aqui em casa, também lhe chamam “rococó” e “acumulativo”, mas “bohemian chic” tem outro allure.

Todas as imagens vieram do blog The Style Files.

quarto boémio

quarto boémio Formentera

Quarto colorido Style Files

quarto Styles Files

sala boémia chic

sala drink more gin

louça boémia

cozinha boémia

jardim boémio


10 comentários

Azul da cor do céu

Já gastámos uma lata de tinta azul e ainda há tantos vasos para pintar.

quintal azul

Ambiente zen, numa variação de azul cobalto (ou azul violeta?) e vasos pendurados nos pregos que existem.

Provisório… novamente,

e talvez pelos próximos dez anos!

Entretanto, não há zen que resista a tanto alvoroço e brincadeira.

meninas no pátio

Talvez tenha voltado à noite, quando fizemos uma tenda e nos tapámos com mantas.

É bom ver o planeta Vénus aparecer.

quintal à noite

Recorda-nos que vivemos num planeta… e não no centro do Universo.

 


10 comentários

Novo exterior

Depois de ter sido atingida pelo espírito alentejano, tive de dedicar-me às pinturas de Verão.

Quintal alentejano caiado

Tudo com tinta branca, porque não tenho a resistência das alentejanas que ainda usam cal.

Espero que a tinta seja mais duradoura e as longas conversas entre as trinchas e as paredes intermináveis do meu quintal só se repitam daqui a 5 ou 6 anos.

escadaria alentejana

Entretanto as conversas entre humanos continuam ao entardecer, num espaço ainda provisório mas mais acolhedor.

pátio alentejano na cidade

As notas de cor azul: para os vasos, chuveiro e tanque, aguardam um novo fôlego que há-de chegar; na pior das hipóteses, no próximo Verão.

As plantas estão neste triste estado, depois de um Verão anormalmente quente…

Seja como for, o must dos serões continua a ser o bolo escondido.

bolo no exterior


4 comentários

Exterior

Eu e a minha prima temos uma “private joke” que consiste em dizer “espaço exterior”.

Não dizemos pátio, nem terraço, nem varandim, nem açoteia.

Usamos a terminologia dos sites de decoração.

E rimo-nos do que não tem graça para mais ninguém, como se ainda andássemos as duas na secundária ou na faculdade, enquanto falamos, como “senhoras” que insistem em chamar-nos, de tintas, vasos, almofadas e tapetes… do espaço exterior.

Ora o meu espaço exterior é muito vivido ao fim do dia, para sentirmos a brisa fresca do início da noite, para fugirmos dos ecrãs, para olharmos para as estrelas e para só ouvirmos as nossas vozes.

Decidimos não comprar mobiliário e vasculhámos o sótão: encontrámos umas cadeiras antigas de praia.

espaço exterior antes da remodelação

comer bolo no exterior

Estava minimamente agradável, mas a precisar urgentemente de uma das actividades de Verão preferidas do Alentejo: ser caiado.

vasos com giz

E foi assim que desceu em mim um espírito alentejano e passei uns dias das férias a pintar um quintal com paredes intermináveis.

Acho que depois desta empreitada e da do ano passado estou praticamente apta a caiar uns montes alentejanos… pequeninos, para já.

No próximo post, publico as fotos do quintal novo: ainda ando a recuperar os pulsos…