“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


2 comentários

Companheiros

Riscas

O Gato

Com um lindo salto
Lesto e seguro
O gato passa
Do chão ao muro
Logo mudando
De opinião
Passa de novo
Do muro ao chão
E pega corre
Bem de mansinho
Atrás de um pobre
De um passarinho
Súbito, pára
Como assombrado
Depois dispara
Pula de lado
E quando tudo
Se lhe fatiga
Toma o seu banho
Passando a língua
Pela barriga

O poema de Vinícius de Moraes retrata os nossos companheiros de casa;

muito provavelmente, os gatos mais felizes do mundo.

Branquinha

Aos nossos olhos, são também os mais bonitos do mundo, claro.

Como a Beatriz não nos ouve – ela que zela para que os sentimentos felinos não sejam feridos – admito que este riscadinho franzino é o meu favorito.

Meu gato-sombra, acredito que está convencido de que sou mãe dele; uma mãe estranha e sem pelo, mas as mães não se escolhem, pensará ele, conformado… e, enfim, não conheceu outra!


Deixe um comentário

Biscoitos de cacau, mirtilos e manteiga de amendoim

Enquanto a Primavera é suave e a ideia de ligar o forno não é absolutamente tenebrosa, fomos para a cozinha fazer biscoitos fáceis e muito saborosos.

Biscoitos cacau, mirtilos e manteiga de cacau

100g de manteiga

100g de azeite

50g de manteiga de amendoim

10 colheres de sopa de açúcar amarelo (ou mascavado)

raspa de um limão

uma chávena de farinha de trigo

uma chávena de farinha de trigo integral

12 colheres de sopa de farinha de milho (ou de aveia)

150g de mirtilos desidratados

1- Derreter as gorduras e bater bem com o açúcar.

2- Depois de envolver as farinhas, juntar à mistura anterior aos poucos, assim como os mirtilos.

3- Fazer esferas achatadas e colocar no tabuleiro forrado com papel vegetal (não precisa de ser untado).

4- Levar ao lume a 160ºC, durante 20 minutos.


Deixe um comentário

Terra

Não sei como vivemos tanto tempo na Terra sem este manual de instruções.

capa O livro da Terra

Bem-vindo ao planeta Terra!

“Na vastidão do espaço, há uma pequena esfera que orbita uma estrela banal, de meia idade, num pacato recanto da Via Láctea.”

A Terra

O primeiro capítulo aborda a formação da Terra com a humildade própria de quem se sabe demasiado insignificante para explicar algo tão grandioso como o Universo: são apenas apresentadas algumas teorias científicas.

Ficamos ainda a saber que nós, os humanos, somos feitos de “velho pó de estrelas”.

Fiquei totalmente rendida e todo o “velho pó das estrelas” que há em mim brilhou!

Velho pó das estrelas

Universo

Outra chamada de humildade humana: vivemos na terceira rocha a contar do Sol.

terceira rocha a contar do sol

O livro contém ainda capítulos sobre os vulcões e o clima, com explicações simples e muito visuais.

o clima

Desfilam ainda capítulos sobre a “Vida na Terra”, a “Árvore da Vida”, “Habitats Naturais”, “Plantas e árvores”, “Espécies raras” e “Espécies desconsideradas” mas super estrelas para a vida na Terra, como a abelha, o morcego ou a formiga.

Terráqueos ignoradosFrases como esta situam-nos na história da humanidade:

“O homem bom é amigo de todas as coisas vivas!” de Mahatma Gandhi.

O livro da Terra Mar

ártico

No entanto, os seres humanos surgem referidos na sua real dimensão para a vida no planeta: duas páginas.

terráqueos influentes

Até que se impõe a última pergunta: Estaremos sozinhos?

estamos sozinhos

Escrito por Jonathan Litton .

Ilustrado por Thomas Hegbrook.

Editora Edicare.


Deixe um comentário

Turismo

José Maria Zonta nasceu na Costa Rica, em 1961.

Neste poema, ensina a amar uma mulher.

Não entres como turista no coração de uma mulher
a bater fotos
a deixar latas de cerveja
buscando só imensas catedrais
e estátuas transparentes

com a mochila cheia de mapas
e fazendo refeições ligeiras

há um país
sete cidades
uma cordilheira e um inverno
no coração duma mulher

não bebas aí só um copo de mar

não entres no avião
toma o comboio da meia-lua
não reveles ali tuas fotos na hora

se não fizer muito frio
entra nu

não leves chapéu-de-chuva
e sobretudo não cortes árvores
no coração duma mulher
não costumam voltar a crescer.

ignant-photography-luca-anzalone-IGNANT


Deixe um comentário

Ivo Neto

A aliteração presente no título Ivo Neto Arquiteto incita a vontade de falar deste livro… e repetir o título muitas vezes.

Ivo Neto Capa

Foi oferecido à Beatriz pela prima arquitecta e conta a história do incrível Ivo, um pequeno prodígio da arquitectura muito incompreendido.

Construir torres com fraldas usadas é demais para a mãe mais amorosa!

Ivo Neto Arquiteto

ptr

Na escola, tudo se complica; a professora tem um grande trauma de infância – abomina prédios e construções.

ptr

ptr

Quem é proibido de fazer o que mais gosta só pode ser infeliz e assim anda o Ivo, com uma cara de partir o coração!

ptr

Até que a expedita professora organiza uma visita de estudo!

ptr

E tudo se altera!

ptr

ptr

Um livro com percursos e aprendizagens de crianças e adultos, escrito por Andrea Beaty e ilustrado com uma leveza apenas aparente.

David Roberts apresenta na ilustração edifícios que nos remetem para construções famosas como a ponte de S. Francisco ou a Torre de Pisa.

Editora: ASA.


2 comentários

Razão

Por todo o lado há cada vez mais pessoas tão cheias de certezas e tão prontas a impô-las a quem quer que lhes passe pela frente!
É cansativo e saturante ouvi-las.
Eu também tenho as minhas tentações, mas ando a treinar-me.
Na maior parte das vezes, não vale a pena falar com quem não quer ouvir;
mas também não vale a pena ouvir quem só quer falar.
ignant-photography-luca-anzalone-
Tão simples, belo e verdadeiro.

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

 

Imagem: IGNANT.