“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


4 comentários

Maturidade

A propósito de maturidade tardia, constato que vivemos hoje numa esquizofrenia que oscila entre a juventude, que se quer eterna e irreverente, e a maturidade precoce que exigimos aos nossos jovens: têm de ser responsáveis e tomar decisões para a vida aos 15 e aos 18 anos.

Como se fosse possível tomar decisões em consciência com esta idade!

Mais incrível ainda: nós, adultos, desejamos que eles não se enganem na escolha e que não percam tempo nesta escolha!

De facto, poucos são os pais ou professores  que consideram natural que o adolescente tenha de parar um ano ou que sinta necessidade de repetir o caminho por outra via, devido a uma escolha precipitada.

Até nestes momentos que exigem reflexão e ponderação, nós parecemos o Coelho Branco da Alice: “É tarde! É tarde!”.

we´re all mad

Ora, aos 15 anos, eles entram na sala de aula agitados, quase tão eufóricos como quando saem.

Elas conversam, antes de ocuparem os lugares e partilham risadinhas, vivências e músicas.

Eles engalfinham-se, roubam os lápis como na primária, riem alto demais e correm na sala, antes de uma voz os fazer sentar.

Elas irritam-se com eles e nem se riem das piadas que eles desesperadamente lançam.

Algumas já têm um ar tão maduro que me surpreendem… é verdade!

Outras ainda pensam e escrevem como meninas de 11 anos.

São 30 ritmos diferentes que tentam acompanhar a adulta que, na maior parte das vezes, lhes sorri, mas que, sempre, se angustia quando algum não consegue acompanhar o grupo.

Afinal, é a maturidade que permite a concentração, a interpretação, a abstração, o pensamento, a estruturação do discurso.

Sem alguma maturidade, quase nada se aprende. A cabeça viaja para bem longe e o olhar silencioso é só mais uma mentira que sabem que é permitida no mundo dos crescidos.

Vivemos no mundo dos objetivos, da uniformização e da aceleração e quem não é igual, muitas vezes só porque ainda é criança, não acompanha, não atinge as metas e é marginalizado pelo sistema.

Dizemos que as crianças são maravilhosas, mas exigimos que cresçam aos 6 anos, aos 10, aos 15 e aos 18!

Quando a Beatriz iniciou o primeiro ano, dei comigo a dizer que a Beatriz era muito infantil!

Aos seis anos…

Que estranho mundo, não é?

 

 


5 comentários

Paz

Amadurecer é conseguir uma serenidade (que no meu caso veio tarde…) que nos permite sentir um enorme bem-estar quando se está só.

Amadurecer é procurar o outro só para ser mais feliz e porque se quer fazer o outro mais feliz.

Amadurecer é aceitar que, se não forem preenchidos estes requisitos, não vale a pena estar com…

ignant-photography-paul-phung-dance 1

Amadurecer é aceitar que há um momento em que temos de afastar-nos de quem não nos faz bem ou não nos traz nada;

quer seja um amor, um amigo ou um familiar.

É duro!

É preciso enrijar, como sempre ouvi dizer aos mais velhos, e dizer “adeus”.

Ter humildade para assumir a nossa impotência, não insistir e deixar ir.

ignant-photography-paul-phung-dance-2

Para nossa protecção!

 

No meu amadurecimento tardio (ou devido a este amadurecimento tardio?), percebo que crescer é reconhecer que nem todos os dias são de certezas.

Desejo, todavia, que todos os meus dias estejam mais perto da paz…

Para isso tenho apenas de tocar em quem me faz bem, balanceando o apego e o desapego… todos os dias.

ignant-photography-paul-phung-dance-011-1440x960

A performance das imagens chama-se “Birth: a dance piece that explores the tension and chaos of new beginnings”!

Que todos os dias sejam dias de nascer algo de bom em nós!

IGNANT


6 comentários

Muffin de cacau

Há muito tempo que não partilhamos uma receita.

A verdade é que a cozinha anda muito funcional:

cumpre a sua função de local de preparação de alimentos, mas não tem havido tempo para chinelar e adoçar os dias!

Que tristeza!

Neste fim-de-semana, aproveitamos uma prenda boa, a Cozinha com Ciência , e fizemos muffins!

muffin cacau.jpg

Ingredientes

200g de farinha de trigo

300g de farinha de trigo integral

300g de açúcar mascavado

100g de cacau puro

pitada de flor de sal

500ml de leite

200g de manteiga derretida

Numa taça grande, misturam-se os ingredientes secos.

Acrescentam-se o leite e manteiga derretida.

Mistura-se muito bem, mas não é preciso bater.

Coloca-se a massa nas formas untadas.

Cozem em forno a 180ºC durante 25 minutos.

Já está!

A receita foi adaptada do manual, mas aprendemos o seguinte:

“O fermento químico é composto por bicarbonato de sódio, ácido (frequentemente ácido tartárico) e amido. Quando colocamos o bicarbonato (que é uma base química) a reagir com o ácido, ocorre a libertação de álcool e dióxido de carbono dentro da mistura, provocando a formação e retenção de bolhas de ar, e o crescimento e aumento de volume da massa. O amido é responsável por absorver humidade do ar, para que o teu muffin fique fofinho e não fique seco.”

 

 

 


1 Comentário

Abril

Abril cheira a flores, a sol e a dias compridos!

Ecoa-me na cabeça um verso: “Vamos, amor! Chegou Abril!”

Rozen Red Cheeks

Em abril cantam

Em abril as crianças cantam

com a chuva.

Trepam aos ramos matinais

das cerejeiras

e cantam à espera do sol.

Quando o sol demora

entram a cantar pelos olhos de deus.

À noite cintilam.

Eugénio de Andrade

Conversation Redcheeks

Votos de um dia de Páscoa muito Feliz!

Imagens: Red Cheeks.


4 comentários

“Next stop: Spring!”

Todos os anos, escolho um ilustrador de eleição.

Neste ano, já vou na minha terceira ilustradora.

Descobri a russa Jenny Kroik, sediada em Nova Iorque desde 2016!

Gosto muito de ilustração feita especificamente para livros infantis, mas não resisto a quem nos coloca a nós, adultos, no papel.

Um dos sítios que inspira esta ilustradora são as livrarias.

Jenny Kroik livraria

“Bookstores are really good places for inspiration–you see people interacting with the books they have an affinity for, you see how people consume the culture. Sometimes someone will be dressed in a similar way to things he or she is looking at. I love these sort of poetic fun moments.”

Ora eu, se não fosse professora, seria muito feliz a trabalhar numa livraria ou numa biblioteca!

Jenny também se sente fascinada pelas pessoas que andam no metro.

O que vê uma menina através da janela do metro?

O que observa no túnel?

Flores?

A Primavera que chega?

“I saw a young girl glued to the window, fascinated by the tunnel, It got me thinking about how one’s imagination is always active when you’re a kid. I started wondering, what can she possibly see? Beautiful flowers? I tried to see the tunnel through her eyes.”

Jenny Kroik

São imagens cheias de histórias e vidas, inspiradas em quem se cruza no seu caminho.

subway  Jenny Kroik

lady at subway Jenny Kroik

selfie Jenny Kroik


2 comentários

Orgulho

Não somos árvores, mas temos raízes.

As minhas raízes portuguesas estão completamente interligadas com a minha língua.

Circularmente, a minha língua está intimamente ligada à minha nacionalidade, sobretudo na sua forma mais nobre que é a literária.

Ontem, foi um dos dias em que genuinamente a minha alma portuguesa brilhou.

Estava a espreitar o blog IGNANT  e vi palavras em português.

Senti o apelo que só a nossa língua tem.

Li e, como portuguesa, a minha primeira reacção foi de satisfação e orgulho. Instintivamente.

Não somos todos cidadãos do mundo…

A Herdade do Freixo, no Redondo (aqui à porta!) foi projectada pelo português Frederico Valsassina.

A adega é subterrânea para aproveitar a temperatura certa que existe debaixo da terra.

iGNANT_Architecture_Herdade_Of_Freixo_Winery_Frederico_Valsassina_Arquitectos_3

iGNANT_Architecture_Herdade_Of_Freixo_Winery_Frederico_Valsassina_Arquitectos_2

iGNANT_Architecture_Herdade_Of_Freixo_Winery_Frederico_Valsassina

Vi ainda outro projeto: uma adega, em Azeitão, foi transformada, pelo neto do antigo fundador, numa casa de família.

ignant-architecture-extrastudio-converted-winery-Portugal

ignant-architecture-extrastudio-converted-winery-Azeitão

ignant-architecture-extrastudio-converted-winery

ignant-architecture-extrastudio-converted-winery2

Para quem gosta de ver projetos incríveis, IGNANT é um site a explorar.

Ainda tem fotografia, arte e viagens!

 

 

 


1 Comentário

Zoé

Zoé:

“J’aime la photo et les voyages (surtout au soleil). J’achète un peu trop de sacs (et de chaussures), sans jamais penser à demain, parce que demain c’est trop loin. 

Je suis tout sauf raisonnable. Jamais.

Je suis la copine que tu dois éviter en virée shopping avant de payer tes impôts parce que si t’hésites entre deux couleurs je te dirai : « Prends TOUT ! » Au Resto en période « régime » je te dirai : « DESSERT !?!! »

[…] Ici rien n’est jamais grave ni sérieux. On ne parle que mode, voyages et beauté.

Je veux juste vous faire passer un bon moment et tenter de vous inspirer un peu au quotidien.”

O sentido de humor e a humildade da Zoé transparecem nas fotografias do blog Les babioles de Zoé.

Duas qualidades que aprecio e que são raras.

Talvez por motivos históricos e culturais, consideramos a leveza, o ócio e a frivolidade pecados mortais.

Resultado: pesadões, tristonhos e rabugentos implicamos com quem ri, no trabalho e na vida!

Zoé

black Zoé

Zoé 2018

Para além das imagens inspiradoras e da Zoé ser um regalo para os olhos, ainda aprendi dicas de arrumação:

gaveta de jeans Zoe

E dicas de composição fotográfica:

composição fotografia

Parece tudo tão fácil!

Comprova-se o mito de que as francesas, desde jovens, têm um sentido estético bem apurado! Aquele mesmo mito que pretende convencer-nos de que as francesas acordam naturalmente cheias de estilo e de que a casa delas tem grandes planos cinematográficos a cada canto!

Sei bem que não é assim, mas é um conto de fadas em que gosto de acreditar! Reforça-me a esperança de que talvez um dia lá chegue!