“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


2 comentários

Extracto de um diálogo

“-Tenho saudades de minha casa, lá na Itália.

-Também eu gostava de ter um lugarzinho meu, onde pudesse chegar e me aconchegar.

-Não tem, Ana?

-Não tenho? Não temos, todas nós, as mulheres.

-Como não?

-Vocês, homens, vêm para casa. Nós somos a casa.”

O último voo do flamingo, Mia Couto

O facto de eu e a personagem feminina termos o mesmo nome não é pura coincidência.

“Aquela casa era a sua nação. As dimensões dessa nação não cabiam em mapa métrico. Todos sabem: a casa só é nossa quando é maior do que o mundo.”

Venenos de Deus Remédios do Diabo, Mia Couto