“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


4 comentários

O bâton

A primeira representação do bâton surge num papiro egípcio.

Cleopatra também o usava.

Até ao início do século XX, o batôn era usado apenas por prostitutas.

Li aqui que, no século XVIII, na Inglaterra, um homem podia pedir a anulação do casamento, se tivesse conhecimento de que a sua esposa usara batôn antes das núpcias!

Rita Hayworth

Rita Hayworth

As sufragistas norte-americanas lutaram pelos seus direitos e usaram batôn vermelho, como símbolo da sua rebeldia e da sua atitude desafiante.

Ava Gardner

Ava Gardner

Aliás, o batôn chegou a ter essa força durante períodos de guerra, no século XX:

uma mulher maquilhada transmitia a imagem de que estava disposta a lutar contra o inimigo apesar das dificuldades.

Elisabeth Taylor

Consta que Hitler não tolerava mulheres de batôn ou com qualquer maquilhagem.

Nos anos 50 e 60, várias estrelas ousaram com batôn vermelho: Marilyn, Ava Gardner, Rita Hayworth ou Elisabeth Taylor.

Elisabeth Taylor 1960

Elisabeth Taylor 1960

Durante o movimento feminista dos anos 70, o batôn foi associado à imagem de mulher-objecto e foi banido.

marilyn-monroe

Felizmente, algumas feministas impuseram-se, apesar do batôn e do verniz vermelho.

Marilyn Monroe

Por incrível que pareça, a verdade é que no final do século XX e o batôn vermelho ainda era reservado a modelos e actrizes.

 

Para mim, esteve reservado à passadeira vermelha até ao mês passado.

Agora tive de alargar o stock de batôns;

é que nem todos os dias são dias de batôn vermelho.

Ma já não prescindo de um toque de rebeldia nestes dias tão cinzentos!