“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


6 comentários

Porquê?

Há alturas em que tudo se acumula:

a profissão com momentos desgastantes;

as horas na cozinha a tentar responder prontamente às encomendas;

o quintal com ervas daninhas e tão abandonado;

as mil ideias para escrever no blog;

os livros à espera na mesa de cabeceira;

a casa a ficar caótica;

a Beatriz a precisar do Tempo da Mãe.

Exceptuando a primeira e a última referência da lista, tudo o resto podia desaparecer da minha vida.

Becca Stadtlander

Então por que razão corro?

Por que me exponho a este stress?

Às vezes nem há tempo para reflectir nas razões.

A palavra de ordem é só uma: reagir.

Pausando, talvez seja porque…

depois de uma vida de trabalho intelectual, descobri que me dá uma grande satisfação trabalhar com as mãos e libertar a mente,

dá-me muito prazer ler, escrever e fixar imagens bonitas,

gosto de me relacionar com os outros e deixar-lhes uma parte de mim,

tornou-se importante testemunhar, através do que faço, os momentos felizes da sua vida.

stadtlander_bluevase_thankyou

” – Traz-me outro doce. Amanhã vou comprar requeijão e lanchar com a B.

O teu doce foi o primeiro lanche que a B. comeu com gosto depois dos tratamentos”.

Comovi-me!

Talvez haja um sentido!

Talvez Ele (o Sentido da Vida, Deus, Destino, aquilo em que acreditamos) esteja no facto de tocarmos os outros e deixarmos que os outros nos toquem a nós…

Imagem de Becca Stadtlander.