“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


19 comentários

Cristal

Este blog costuma ser luminoso.

Regista a felicidade e a beleza dos dias.

Mas este blog também é intimista, disse-me a minha prima Graça.

Há que registar as fra(n)quezas.

Primeira: às vezes não me sinto preparada para sobreviver a este mundo: sou assim do tamanho da Arrietty.

E só quero viver longe daqueles que destroem a Beleza.

Não percebo quem não quer viver no meio de flores enormes e sentir-lhes o perfume.

Quem ataca gratuitamente, quem dificulta intencionalmente, quem é maledicente, quem incha com um poderzinho… e cultiva essas características.

O meu mundo é outro.

Os meus defeitos são outros.

Afonso Cruz

Sou mais como o Bonifaz Vogel de Afonso Cruz.

Da mesma forma que não compreendo quem não vive para a harmonia e para as artes, tenho perfeita consciência de que não sou compreendida por quem vive para a discórdia e para a desafinação.

A solução?

1-Evitar e ignorar pessoas tóxicas; parar de analisar quem não age com a razão/ coração.

2-Manter a cápsula onde vivo limpa e imune.

3-Acreditar que existem mais Arriety e Bonifaz do que elefantes!

E sei que quem me lê também é um cristal; os elefantes não sabem ler…

N.B. A imagem do livro A Boneca de Kokoschka, de Afonso Cruz, é do blog Alice.