“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


6 comentários

Agenda

Carl Honoré, impulsionador Slow Movement, diz que as nossas crianças estão assoberbadas de actividades: cansadas, ansiosas e sem espaço para brincar, nas suas agendas tão preenchidas.

A E., colega da Beatriz, tem natação às segundas e sextas; ballet às terças e quintas e música aos Sábados.

Chega a casa, diariamente, às 19:30h, toma banho, janta e dorme, exausta.

Inside a black Aple

Disse à Avó que lhe faltava tempo para brincar.

 

Eu compreendo os pais da E…. eu também sinto um impulso para proporcionar à Beatriz todas as experiências enriquecedoras que consiga encontrar.

Mas onde está o limite?

A Beatriz tem ballet duas vezes por semana.

Costuma ir alegre e radiante.

-Mãe, hoje não quero ir: quero ficar em casa a brincar com os legos.

-De certeza? Não queres dançar com a E., com a M., com a professora M.,…?

-Não, quero brincar contigo.

Ficámos.

Sem certezas.

Achei que obrigá-la a ir quebrava para sempre uma actividade que se quer, em primeiro lugar, prazerosa.

Como harmonizar o maior número de experiências com um dia excessivamente preenchido?

E com uma filosofia de vida que se pretende, sempre que possível, slow?

Não tenho a resposta, mas definitivamente não quero que a Beatriz tenha uma agenda mais preenchida do que a minha!

A imagem é daqui!