“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


13 comentários

Degraus

“Mudamos tanto com a idade…”
                                                                                                                                                                                                                                         .
A minha prima costuma suspirar esta frase quando nos apercebemos das grandes mudanças que vão ocorrendo nas nossas vidas.
E são tantas…
                                                                                                                                                                                                                                         .
Eu amadureci tão tarde que só aos vinte é que comecei a gostar mesmo de poesia.
                                                                                                                                                                                                                                         .
E agora aos trinta (perto dos quarenta…) é que começo a gostar de ouvir fado… ao vivo (por enquanto).
                                                                                                                                                                                                                                          .
Camané e David-Mourão Ferreira.
Escada sem corrimão
É uma escada em caracol
e que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
mas nunca passa do chão.
 
Os degraus, quanto mais altos,
mais estragados estão.
Nem sustos, nem sobressaltos
servem sequer de lição.
 
Quem tem medo não a sobe
Quem tem sonhos também não.
Há quem chegue a deitar fora
o lastro do coração.
 
Sobe-se numa corrida.
Correm-se perigos em vão.
Adivinhaste: é a vida
a escada sem corrimão.
                                                                                                                                                                                                                                                               .
                                                                                                                                                                                                                                                                 .
Gosto muito de ser Portuguesa!
.
Feliz 10 de Junho!


13 comentários

Vestido

“Sinto-me tonto, enternecido,

quando, de noite, as minhas mãos

são o teu único vestido”

David Mourão-Ferreira

vestido- dustjacket attic

vestido 2 dustjacket attic

vestido 3- dustjacket attic

 

Gosto muito, muito de vestidos.

Estes são do blog dustjacket.

Mas ainda gosto mais deste poema de David Mourão-Ferreira.

Penélope

Mais do que um sonho: comoção!
Sinto-me tonto, enternecido,
quando, de noite, as minhas mãos
são o teu único vestido.

E recompões com essa veste,
que eu, sem saber, tinha tecido,
todo o pudor que desfizeste
como uma teia sem sentido;
todo o pudor que desfizeste
a meu pedido.

Mas nesse manto que desfias,
e que depois voltas a pôr,
eu reconheço os melhores dias
do nosso amor.