“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


4 comentários

Humanos

Cito de memória um testemunho de um militar do filme Human:

“A partir do momento em que cruzámos o olhar, deixei de vê-lo como inimigo, vi medo e vi um ser humano… e eu ia matar um ser humano. Foi transformador. ”

São tantos os depoimentos!

Intensos, generosos, perturbadores (e perturbados), lúcidos e muito humanos!

Somos nós: o melhor e o pior de nós.

A nossa essência cheia de poesia, amor, beleza mas também raiva, violência e ódio.

O que é que faz de nós Humanos?

human-poster

Será que tentamos todos os dias ser a nossa melhor versão?

Será que andamos a honrar a capacidade excepcional que nos foi dada, a Razão?

São muitos depoimentos que nos falam de Amor, da condição da Mullher, de Pobreza, de Família, de Identidade e Verdade, de Ódio e Violência.

Olhos nos olhos.

Primeira parte;

Segunda parte;

Terceira parte.

Falta-me ver o volume 3: hoje será o dia!

 

“I am one man among seven billion others. For the past 40 years, I have been photographing our planet and its human diversity, and I have the feeling that humanity is not making any progress. We can’t always manage to live together.
Why is that?
I didn’t look for an answer in statistics or analysis, but in man himself.”

Yann Arthus-Bertrand