“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


7 comentários

Dor

“Quando o amor acaba, a tragédia é minimizada porque já sabíamos que “o amor acaba”.

O fim de uma amizade é uma surpresa mais chocante”, escreveu [Mexia] numa crónica para o PÚBLICO, em 2008, intitulada Teoria geral do ex-amigo. “A mitologia diz que os amigos são indestrutíveis e eternos. Há, por isso, um grau de decepção no fim de uma amizade que cobre de vergonha os envolvidos.”

De um amor que desaparece pode dizer-se que se confundiu o amor com uns olhos azuis, como ironizava Mexia na crónica. “Nunca mais me apaixono”, ouve-se tantas vezes. Vale o que vale, mas quem já não viu alguém mais ou menos abalado fazer essa promessa?

Este artigo do Público atingiu-me e ajudou-me a verbalizar sentimentos.

Também eu perdi um amigo.

Não foi a distância geográfica ou a vida do dia-a-dia que nos afastou: penso que estas circunstâncias até se aceitam – encolhemos os ombros e pensamos “É a vida!” e, pelo menos, temos uma desculpa (ainda que aparente) que justifica o fim da relação.

Mas e quando um amigo diz que não quer mais ser nosso amigo? Que precisa de se afastar?

Durante anos não me conformei e insisti.

Lutei por essa amizade como nunca lutaria por uma relação amorosa.

De facto, estamos preparados para ver um grande amor partir: sabemos que ficamos devastados, que vamos chorar muito mas, enfim, também sabemos que nos vamos levantar.

Em relação aos amigos, encaro-os com a seriedade com que se encara um grande amor, mas pensando que não vai ter fim:

Foi uma sorte o nosso encontro e a vida fica mais leve se for partilhada contigo!

Foi por isso que não aceitei o fim.

E por ver uma pessoa tão importante da minha vida a desaparecer.

E por ver a minha vida a ficar mais pobre.

Fica assim um vazio, uma sombra cinzenta no coração.

A tristeza que fica perdura no tempo. “Uma tristeza mais suportável e mais duradoura que a tristeza amorosa”, nas palavras de Pedro Mexia.

saar manche dor da perda

Uma tristeza que fica, apesar dos anos.

Imagens do blog de Saar Manche.