“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


5 comentários

Carpinteiro

Os meus amigos têm uma casa maravilhosa na Rua do Brasil, em Coimbra.

Antiga e recuperada.

Quando eu a contemplava, embevecida, o meu amigo disse:

-Só há um problema com as casas antigas: todos os meses tens uma despesa extra com o carpinteiro, electricista, canalizador ou pedreiro.

Como saí da casa pequenina (antiga casa da minha Avó, dos anos 50) para a casa grande (século XIX), sei bem ao que se referia.

Neste momento, temos andado com uma fixação com o carpinteiro.

E porquê?

Porque a casa de Estremoz, embora seja muito grande, tem pormenores que estão sempre a despertar-nos a imaginação e que não se adequam ao estilo apartamento sueco.

E mesmo o que poderia ser standarizado, não se adequa ao material da parede, demasiado poroso e pouco resistente.

E assim andamos, a guardar imagens e a mostrar ao carpinteiro Marco.

Onde colocar dezenas de fotografias?

Furos na parede?

Poucos: começa a manifestar-se em mim esta fobia antiga do meu Pai.

quadros na parede DustJacket

Uma parede com molduras é suficiente.

Molduras na parede

Uma solução são as prateleiras finas de pinho não tratado.

Prateleiras para molduras DustJacket

Para colocar objectos de que gostamos muito?

Prateleiras de diferentes comprimentos.

Prateleiras de diferentes comprimentos

E uma na vertical.

prateleira na vertical

E está aqui o apontamento para o Sr. Marco – mês de Julho.

As imagens deste apontamento são do blog inspirador: DustJacket.

A segunda imagem é do blog Las Cositas de Beach & Eau.