“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


11 comentários

Suspiros

– E gostas de viver no Alentejo?

– Gosto… mas é preciso aprender a viver em Estremoz.

Há muitos exemplos corriqueiros:

  • não se torce o nariz a carne de porco;
  • não se pode esperar cumplicidade ao suspirar, com saudades, por um peixinho grelhado com batata cozida;
  • mantem-se uma certa cerimónia nos relacionamentos, mesmo que já íntimos;
  • não se espera que o homem cozinhe e estenda a roupa com toda a naturalidade;
  • não se pode esperar que os alentejanos sejam todos ateus\comunistas: a larga maioria das pessoas que conheço nas cidades do Alto Alentejo – Portalegre, Elvas e Estremoz são, inequivocamente, católicas e de direita;
  • não se diz que os doces conventuais alentejanos são demasiado… doces;
  • não se recusa um suspiro.

suspiros alentejanos 2

A Avó Silvana faz estas maravilhas light e, escusado será dizer, que bombardeia, com frequência, qualquer tentativa de dieta ou restrição de açúcar.

Com quase 89 anos já tem o estatuto de dizer o que quiser…

até que os bolos nem engordam muito.

E esta mulher do litoral o que faz?

Compra morangos ou frutos vermelhos e come suspiros com fruta…

para não engordar tanto!

Bem… a lógica é a mesma da da Avó Silvana!

Ingredientes:

6 claras e 0,5kg de açúcar;

raspa de limão (presente nos apontamentos da Avó, mas opcional).

Suspiros crus

Preparação:

Bater os ingredientes até a mistura ficar muito firme.

Alourar no forno.

suspiros alentejanos

O grande problema é que ficam mesmo muito bons, leves e estaladiços!