“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


12 comentários

Equilibrar

Equilibrar:

Prato 1: Eu – Mãe

Prato 2: Eu – Ana

Prato 3: Eu – Namorada

Prato 4: Eu – Filha

Prato 5: Eu – Amiga

Prato 6: Eu – Família

Prato 7: Eu – Profissional

Prato 7: Eu – Aprendiz de Blogger

Prato 8: Eu – Doceira

Prato 9: Eu – Feirante

Prato 10: Eu – Dona de Casa

Prato 11: Eu – Dona de Horta

Prato 12: Eu – Leitora

Prato 13: Eu – Aspirante a aprendiz de Fotógrafa,…

 

Ementa: Eu – Louca!

Os pratos todos a girar; a ordem toda invertida; alguns quase a cair no chão, …

 

E a pergunta de algumas amigas:

-Como é que tu consegues?

-Não consigo.

Esta não sou eu nas compras.

The coveteur equilibrar

É a Padma Lakshmi.

Esta não sou eu no meu quintal.

Olivia_Munn- equilibrar

É a Olivia Monn.

Nota de cor e beleza de um post que retrata uma situação que aguarda uma decisão da minha parte.

Não posso continuar a tentar equilibrar todos estes pratos.

Alguns vão deixar de existir, pelo menos temporariamente.

De outra forma, em breve serei internada.

E não é num SPA.

 

Quando não sei bem que decisão tomar, decido carregar no “pause” e visitar o blog: The Coveteur

 

 


9 comentários

Beleza Pura

Os brancos multiplicam-se.

Mais do que os da  minha Mãe.

E eu estranho-os e estranho-me.

O meu corpo está diferente.

Já não posso comer tudo o que quero (quer dizer, até posso, mas pago a factura… volumosamente).

Surpreendo-me, com frequência, com o aspecto das pessoas que estudaram comigo no Liceu.

O que lhes aconteceu?

Bem, quanto a mim, distraí-me e entraram pela frincha da porta quase 40 anos.

 

Aos 20, a Beleza é pura, fera, luminosa, deslumbrante.

Incontornável.

É um cliché em que só acreditamos quando já a deixámos para trás.

Mas é uma aparência incompleta, porque é, naturalmente, superficial.

Porque é uma Beleza povoada de insegurança, inquietação e leviandade;

o que até lhe dá graça, mas retira-lhe densidade.

Caroline_DeMaigret beleza the coveteur

 

Todos somos obviamente belos aos 20, mas poucos continuam verdadeiramente belos nas décadas seguintes.

Também é cliché, mas hoje procuro a verdadeira Beleza, aquela que é estruturada pela serenidade, pela dignidade, pela autenticidade, pela profundidade e pelo saber.

Essa nunca pode estar nos 20.

Encontro-a apenas num olhar intenso, num gesto inesperado, numa frase surpreendente, numa atitude admirável, … que torna o seu autor/autora irresistível.

A imagem é do blog : The Coveteur.

 

 

 

 


4 comentários

Adultos

– Mãe, como são as tuas birras?

– Eu não faço birras; quer dizer, só raramente. Os adultos não fazem muitas birras.

– Tu és um “cadulto” alguma vez?

– Beatriz, eu sou um adulto; tu és uma criança.

– Ah!

 

Eu sei que sou a “Mãe Pequenina”, mas também sou a “Mamã Coelho” e a “Mamã Tigre” … e  fiquei espantada.

Ou não…

Kourtney_Kardashian- the coveteur criança

 

O meu amigo do coração, Mário, costuma dizer:

– Somos todos adultos, até vivermos uma crise amorosa. Aí surge toda a nossa infantilidade.

 

Pelos vistos, há pessoas a quem surge todos os dias.

 

A verdade é que a “Mãe Pequenina” precisa frequentemente de colo e pergunta-se (também com demasiada frequência):

– O que faria a mulher “verdadeiramente adulta que eu gostaria de ser” numa situação destas?

É bom manter a ingenuidade da infância, mas às vezes há surpresas:

definitivamente há dias em que não estou preparada para o mundo dos adultos.

 

A senhora “tão bem sentada”, com as orelhas do Rato Mickey, é Kourtney Kardashian, no blog The Coveteur.